top of page
  • Foto do escritorDaluco

DeSoto 1946

Atualizado: 16 de dez. de 2023




A marca DeSoto foi fundada por Walter Chrysler em 4 de Agosto de 1928, e introduzido para o ano modelo 1929. O nome era uma homenagem ao explorador espanhol Hernando de Soto . O logotipo DeSoto contava com uma imagem estilizada do explorador que liderou a primeira expedição européia ao interior do território dos USA (Florida, Geórgia, e Alabama), e foi o primeiro a documentar na Europa ter cruzado o rio Mississippi .


A Chrysler queria fazer a marca concorrer com os suas outras marcas: Oldsmobile, Buick, Studebaker, Hudson e Willys , na classe de preço médio. DeSoto servia como uma versão de menor preço dos produtos da Chrysler e Plymouth adicionados à família Chrysler em 1928.


Pouco depois da DeSoto ter sido introduzida, no entanto, a Chrysler completou a aquisição dos Dodge Brothers, dando à empresa duas marcas de preço médio. Inicialmente, a estratégia de duas marcas médias foi relativamente bem sucedido, com DeSoto com preços abaixo e a Dodge com modelos diferentes.


No entanto, em 1933, Chrysler inverteu as posições das duas marcas no mercado, na esperança de aumentar as vendas. Ao elevar a DeSoto, ela recebeu modelos simplificados do Chrysler Airflow de 1934. Mas, com a distância entre eixos mais curta do DeSoto, o projeto foi um desastre e era impopular com os consumidores.


Além de seus modelos Airflow, o modelo de DeSoto 1942 é provavelmente o seu segundo modelo mais memoráveis dos anos pré-guerra, quando os carros foram equipados com faróis pop-up móveis pela primeira vez para a América do Norte em veículos de produção em massa.




Depois do termino das restrições de tempo de guerra sobre a produção automotiva, a DeSoto voltou para a produção de carros civis reeditado seus modelos de 1942 como 1946, mas sem o recurso de farol oculto, e com contornos estendendo-se para as portas, assim como outros produtos de Chrysler do imediato período pós-guerra.




Em seu modelo maior, podia ser ocupado por até 9 pessoas sentadas, com suas três carreiras de bancos. Teve grande sucesso como taxi em grandes cidades como Nova York por seu grande espaço interno.



A MINIATURA


Utilizei o tradicional taxi amarelo e vermelho da coleção de Taxis do Mundo produzida pela PCT/IXO e distribuída ao redor do mundo por diversas editoras. O acabamento dos cromados é surpreendentemente bom, bem melhor do que costumamos encontrar em outras coleções de banca de jornais. Mas mesmo assim encontrei uma falha no projeto, a janela do lado do motorista vem aberta mas fica faltando o quebra-vento. Em princípio pense que eu o tivesse quebrado e perdido na desmontagem da mani, mas depois de constatar que até mesmo a miniatura desse carro vendida pela Premium X, marca top da PCT/IXO, não apresentava o quebra-vento, me convenci do erro de projeto na mini.


Sim, sim, eu sei, fiz "cacaca" na hora de aplicar o verniz e quando se tira fotos que ficam ampliadas em relação ao modelo em escala 1:43 isso fica muito evidente. O interessante é que "na mão", ou seja, ao vivo ele parece até bem "passável" sendo que só notei as falhas quando fiz as fotos para essa matéria. Desmontá-lo e pintá-lo novamente seria possível mas arriscaria danificar algumas de suas delicadas peças cromadas. Optei por deixar assim, afinal é para consumo próprio e fica como aprendizado. Talvez um dia compre outra mini dessas para refazer o trabalho com mais atenção, quem sabe, por hora ele vai preenche a minha vitrine de um período muito importante da história do automobilismo, o pós-guerra.


Até mais!


Mais modelos da minha coleção AQUI.




134 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page