top of page
  • Foto do escritorDaluco

FSO Warszawa 1956

Atualizado: 17 de dez. de 2023




O FSO Warszawa foi um automóvel fabricado pela FSO, na Polónia, entre 1951 e 1973.

O seu nome teve origem na capital da Polónia, Varsóvia, que em polaco se designa como Warszawa.

A primeira versão, o Warszawa M20, era baseada num modelo do construtor soviético GAZ, o M20 Pobeda. A sua construção teve início em Żerań, nos arredores da capital, um dia antes do aniversário da revolução russa, em 6 de Novembro de 1951. Nesse dia, saíram da linha de produção, 5 unidades resplandecentes, calorosamente recebidas pelo público que assistia. Eram os primeiros automóveis produzidos na Polónia do pós-guerra. Rapidamente se tornaram um símbolo nacional.



A fábrica possuía capacidade para fabricar até 25 000 unidades por ano, mas a produção do M20 nunca atingiu este nível. A explicação reside no facto da sua construção ser bastante ineficiente, exigindo quantidades excessivas de materiais e de mão-de-obra. Foram utilizadas peças soviéticas até 1956, ano em que passaram a ser exclusivamente polacas.


A marca polonesa de automóveis que teve planos de fabricação nacional aprovados pelo Geia, em 1958. O projeto, apresentado pela empresa brasileira Central Motor S.A., previa a produção de 200 unidades mensais do modelo M-20, com 25% de nacionalização, índice mínimo inicial previsto pelo governo federal, a ser iniciada no prazo de um ano. O carro vinha sendo importado desde 1956 e algumas centenas já circulavam pelo país. O Warszawa já na sua época era, contudo, um veículo técnica e estilisticamente ultrapassado: tratava-se simplesmente da versão polonesa do GAZ M-20 Pobieda, automóvel projetado em 1947, na União Soviética, com base em modelos norte-americanos anteriores à II Guerra. Dois volumes de quatro portas, tinha motor dianteiro de quatro cilindros em linha com válvulas laterais (2.120 cm3 e 75 cv), tração traseira, câmbio de três marchas (1ª não sincronizada) e suspensão por molas helicoidais com bandejas superpostas na dianteira e feixe de molas na traseira. O projeto não foi implantado.


A MINIATURA


Apesar da péssima embalagem, que aliás chegou ao Brasil totalmente molhada e deformada, o carro sobreviveu a sua viagem que começou na Republica Chequia. Apenas a placa traseira ficou danificada mas ela vai sair mesmo, será substituída por uma nacional futuramente.

Adoro o detalhe dos apara-barros "de fábrica" que constam na miniatura e a frente me parece a mais bem resolvida para esse modelo.


39 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page