top of page
  • Foto do escritorDaluco

Tucker '48 #1035

Atualizado: 16 de dez. de 2023



Preston Thomas Tucker foi um visionário genial e ao mesmo tempo ingênuo. Acreditou que seu projeto de carro revolucionário bastaria para construir uma empresa, mas deu de cara contra um muro de dificuldades e intrigas armado pelas três grandes fabricantes da época, que viam nele uma ameaça futura.




O Tucker Torpedo foi um projeto de 1946 e jamais passou de uma maquete 1:8. Evoluindo dessa primeira ideia surgiria o Tucker '48, original e revolucionário que teve o nome Torpedo retirado para não lembrar do período de guerra ainda tão recente.

Seu projeto previa freios a disco, rodas de alumínio, coluna de direção ajustável, portas entrando no teto para facilitar o acesso, suspensão independente nas quatro rodas, vidros frontais laminados e que se projetavam para fora do carro em caso de uma batida, interior acolchoado e com maçanetas recuadas, havia um recuo no painel frontal em frente do banco do passageiro, tinha um "santo-antônio" e uma célula de sobrevivência integrados a estrutura do carro, o farol extra central era móvel e acompanhava a direção das rodas ajudando a iluminar as curvas da estrada, Tucker queria cintos de segurança mas foi desencorajado por sua equipe pois a noção geral da época é que só carros não seguros tinham cintos.


Seu formato de barco no corpo do carro não era apenas um capricho de design, Tucker havia pesquisado e descobriu que a maioria dos acidentes na época envolviam colisões em ângulo e esse formato ajudava seu veículo a absorver protegendo seus ocupantes.




O motor seria um flat-six de 9,6 litros com câmaras de combustão hemisféricas e injeção mecânica de combustível, mas devido aos inúmeros problemas enfrentados por uma empresa com pouquíssimo capital e brigando com as grandes do mercado, teve que ser substituído por um outro flat-six de helicóptero, mais modesto com seus 5,5 litros mas que era extremamente resistente.


Tucker conseguiu fabricar pouco mais de 50 carros antes de fechar as portas, entre eles o de número 1035 que foi exportado para o Brasil e cá está até hoje. Infelizmente foi muito mal tratado durante esses anos e hoje é só uma carcaça pedindo restauração sobre um chassis de outro carro, seu motor original foi parar num barco de competição, dizem.



Devido a uma série de processos, difamação e um bloqueio por parte dos fornecedores de material que tinham alguma ligação com as três grande da indústria automobilística americana, Preston acabou vindo para o Brasil para tentar um novo projeto, o Carioca, uma versão esportiva do Tucker '48.



Mas isso é história para outra hora, recomendo a leitura de duas matérias de Dalmo Hernandes e Leonardo Contesini para o site flatout sobre o Tucker e o Carioca. Foi de onde tirei a maioria das informações deste post.



Quanto a miniatura da Solido francesa, competente mas com as mesmas falhas que a Yat Ming apresenta em seus modelos, limpadores de parabrisa "impressos" no vidro e ausência de alguma pintura nos detalhes.


Até mais!

125 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page